Últimas Críticas

20 críticas
RSS Feed de críticas
N/A T-Kritz

A história de Assaf é riquíssima porque também abalou as estruturas políticas de onde veio, jogando os holofotes especialmente pelo modo de vida precário e opressor dos palestinos. O problema é que “O Ídolo” passa quase batido por essas características do biografado, preferindo priorizar o lado edificante de sua jovem e expressiva trajetória.

N/A T-Kritz

O que Corra! (ou Get Out) consegue fazer é uma união de gênero e tema onde ambos só têm a ganhar, apresentando-se ao mesmo tempo como um terror divertidamente satírico e uma declaração anti-racismo adoravelmente caricata.

N/A T-Kritz

Depois de conferir Alien: Covenant, a impressão que fica é de que nada restou do bom e velho Ridley Scott. [...] Talvez já seja a hora da série se aposentar de vez das telas de cinema, pois não há nada que salve este desastre.

N/A T-Kritz

Quanto mais Ridley Scott busca explorar as relações entre criador e criatura, mais prova desconhecer a forma perfeita que concebeu há quase 40 anos.

23 T-Kritz

Segue alimentando a mentalidade de macho burro e retrógrado que também foi promovida por Cinquenta Tons de Cinza, conseguindo a incrível "proeza" de ser ainda pior do que o antecessor (e acreditem: isto é um feito inacreditável).

N/A T-Kritz

Guardiões da Galáxia vol. 2 repete a dose do humor sarcástico do diretor e roteirista James Gunn, que tem um sensível cuidado com cada personagem e suas respectivas histórias em particular, tendo um desenvolvimento individual e coletivo extremamente funcional.

N/A T-Kritz

Resgatando a personalidade irreverente que fez do Vol. 1 uma grata surpresa, Guardiões da Galáxia Vol. 2 também sabe adicionar carga dramática ao grupo sem nunca trair o espírito sarcástico dos anti-heróis, lidando com questões como paternidade, amizade e o apego familiar com uma sensibilidade comovente e sincera.

N/A T-Kritz
Vale um adendo para as mulheres que questionam os padrões dos manequins: aqui, o combate de um preconceito acaba alimentando vários outros.
N/A T-Kritz

Se estabelecendo como o ponto mais alto de uma franquia que já perdeu e recuperou a mão várias vezes, Velozes e Furiosos 8 funciona bem dentro de suas pretensões e diverte a partir de bobagens absurdas, comprovando que a série só tem a ganhar quando investe descaradamente na insanidade de seu universo e dos personagens.

N/A T-Kritz

A franquia finalmente chega a um degrau em que parece não se conformar só com o mais do mesmo, provando que tem fôlego para ir adiante.

N/A T-Kritz

Por trás de seu estilo estético fabulosamente instigante, Dog Eat Dog apresenta problemas graves no roteiro e na maneira como retrata a violência cometida pelos personagens, se julgando original e competente quando, na verdade, está sendo apenas sádico e incômodo.

63 T-Kritz

Se O Fantasma do Futuro era um anime de difícil compreensão, mas mesmo assim instigava o espectador a tentar decifrá-lo, Vigilante do Amanhã - Ghost in the Shell dilui a densidade que poderia haver na trama e reinventa questões filosóficas de maneira superficial, resultando numa experiência visualmente belíssima, mas conceitualmente decepcionante.

63 T-Kritz

Apesar dos deslizes, Ghost In The Shell entrega uma ficção científica futurista muito linda de se ver. É um blockbuster com um pouco de vergonha de ser um blockbuster, pois não é um daqueles filmes pipoca que você assiste só por assistir.

N/A T-Kritz

Por essas interações que as inevitáveis rupturas do desfecho, acompanhadas pela bela música de Roger Neill, sejam tão comoventes quanto o de uma última despedida.

73 T-Kritz

Fragmentado sabe gerar no público os sentimentos básicos que pretende despertar: tensão e a torcida para que os personagens consigam se livrar da angústia que encaram. Só é uma pena que o terceiro ato seja tão sintomático e se renda aos exageros habituais de Shyamalan.

63 T-Kritz

O inglês Rupert Sanders prova que é dono de um apuro estético dos mais arrojados, recriando um cenário futurístico à lá “Blade Runner”.

N/A T-Kritz

Rendendo-se à "christophernolanização" pós-O Cavaleiro das Trevas que já prejudicou outras obras, o novo Power Rangers exibe um desconforto notável em suas tentativas de transformar o impossível em plausível, como se o diretor Dean Israelite tentasse dizer "hey, eu não queria levar isso tão a sério, mas é o que estou tendo que fazer".

N/A T-Kritz

T2 Trainspotting traz vários problemas, mas ainda assim é legal rever Mark Renton, Spud, Sick Boy e Begbie; mesmo que eles sigam excessivamente presos ao passado.

N/A T-Kritz

Rocha consegue incluir o espectador na naturalidade com a qual a relação entre essas duas mulheres se desenha, mesmo em uma narrativa absolutamente desprovida de conflitos.

N/A T-Kritz

O resultado prático soa desconexo e aborrecido até para quem acompanha com uma curiosidade bizarra algo como “O Fantasma”, exemplar que rendeu a Rodrigues um reconhecimento mundial.